Na minha profissão é muito comum passar por alguma situações onde escutamos que “se comunicar é fácil”. Mas, as pessoas costumam confundir o “comunicar” com o “falar”. E como já dizia minha bisavó: “falar, até papagaio fala”.

Por definição, a comunicação só existe quando uma mensagem é transmitida de forma clara e entendida pelo receptor afim de promover uma resposta. Falar o que achamos interessante não necessariamente efetiva um processo de comunicação. Muitas vezes, falamos para ninguém ouvir e pode ser muito mais frustrante.

Quando iniciamos um processo de divulgação de um assunto aqui na Arebo, antes de falar qualquer coisa sobre o assunto definido pelo cliente, é realizado um estudo, um planejamento de como aquela informação será dita para alcançar os públicos que interessam e principalmente para que a mensagem gere interesse em ser absorvida e respondida.

Para haver engajamento e admiração pela mensagem, é preciso, antes de tudo, entender como o que temos a dizer pode ser útil para outras pessoas. É preciso enxergar o outro e analisar se a fala é importante apenas para quem diz ou se faz sentido ser compartilhada, o quanto aquele assunto pode melhorar a vida de outras pessoas? Qual a real utilidade daquilo?

Empresas especializadas em comunicação sabem como extrair o melhor da sua mensagem para direcionar o que há de melhor nas corporações ao dia a dia de outras pessoas, transformando a simples fala em comunicação efetiva. Não fale para as paredes, fale sempre à uma equipe de comunicação e ela amplifica a sua mensagem aos públicos de interesse! #assessoriadeimprensaéarebo #vempraarebo #eleitamelhorassessoriaem2016